BRASIL POLÍTICA

Anielle sobre morte da irmã: “Solução é dever do Estado brasileiro”

Ministra da Igualdade Racial afirmou que a família espera os resultados oficiais da investigação; viúva de Marielle Franco criticou o vazamento de informações

A ministra da Igualdade Racial, Aniele Franco, disse que é “dever do Estado brasileiro” elucidar o assassinato da sua irmã, a ex-vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol), e do motorista Anderson Gomes. Nesta terça-feira (23/1) o portal The Intercept Brasil divulgou informações da delação premiada do atirador Ronnie Lessa.

Policial militar reformado, Lessa é acusado de ser autor dos disparos contra Marielle e Anderson no dia 14 de março de 2018. Ele teria apontado o ex-deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão, como um dos mandantes do crime.

Anielle informou que a família aguarda os comunicados e resultados oficiais das investigações e “está ciente do comprometimento das autoridades”. “Recebi as últimas notícias relacionadas ao caso Marielle e Anderson e reafirmo o que dizemos desde que a tiraram de nós: não descansaremos enquanto não houver justiça”, disse a ministra.

Policial militar reformado, Lessa é acusado de ser autor dos disparos contra Marielle e Anderson no dia 14 de março de 2018. Ele teria apontado o ex-deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão, como um dos mandantes do crime. Anielle informou que a família aguarda os comunicados e resultados oficiais das investigações e “está ciente do comprometimento das autoridades”. “Recebi as últimas notícias relacionadas ao caso Marielle e Anderson e reafirmo o que dizemos desde que a tiraram de nós: não descansaremos enquanto não houver justiça”, disse a ministra.

Ao portal, o advogado do conselheiro do TCE-RJ, Márcio Palma, afirmou que não tem conhecimento da delação e que teve o acesso aos autos negado, sob a justificativa de que Brazão não era investigado. O conselheiro nega qualquer participação no crime.

A viúva de Marielle, Mônica Benício (PSOL), criticou o vazamento da suposta delação de Ronnie Lessa. “Estamos lidando com um dos criminosos mais perigosos do submundo do Rio de Janeiro. Qualquer informação que o delator venha a dar precisa ser respaldada e corroborada pelas investigações minuciosas do andamento do caso”, frisou Benício. Também vereadora do Rio de Janeiro,

Mônica destacou os avanços na investigação com a entrada da Polícia Federal no caso, em 2023. “Queremos respostas e justiça e para isso é necessário comprometimento e responsabilidade de todos nesse momento. Marielle e Anderson merecem respeito e um desfecho responsável para as investigações. O Brasil e a democracia precisam de uma resposta séria, inquestionável, comprometida com a verdade”, completou.  

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Divulgação    

Postagens relacionadas

Em Abu Dhabi, Lula negocia acordos comerciais e de meio ambiente

Vilhena

Lei de Roberto Cidade fortalece proteção à mulher e inibe consumo excessivo de bebidas alcoólicas

Jamil Maciel

Em Brasília, prefeito se reúne com presidente do Senado para defender a autonomia dos municípios na Reforma Tributária

Jamil Maciel
Verified by MonsterInsights