AMAZONAS

Assembleia Legislativa do Amazonas alerta para os perigos da hipertensão arterial

Instituída pela Lei nº 10.439/2002, o dia 26 de abril foi escolhido como o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, com o objetivo de fomentar uma reflexão sobre a importância do diagnóstico preventivo e do tratamento da doença. A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) busca conscientizar sobre a necessidade dos cuidados com a saúde.

A hipertensão arterial é caracterizada por um aumento anormal da pressão que o sangue faz para circular pelas artérias do corpo. Segundo estudo realizado pelo Instituto Nacional de Cardiologia, baseado em dados do Ministério da Saúde, o número de brasileiros com problemas de pressão alta foi recorde no ano de 2023, com 28% da população sofrendo de pressão alta desde o início da série histórica, em 2006.

O diretor de Saúde da Aleam, médico Arnoldo Andrade, informa que a medicina considera ideal uma pressão arterial de 12×8. Quando passa disso, fica caracterizado quadro de hipertensão, explica Andrade, ressaltando que daí podem surgir as lesões nos vasos e nos órgãos, principalmente cérebro, coração e rins. 

“A hipertensão é indolor, é silenciosa, você só descobre, muitas vezes, em um evento de verificação de pressão, ou quando apresenta quadro de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio ou insuficiência renal”, destaca o diretor de saúde.

De acordo com o médico, a rotina estressante, sobrepeso, sedentarismo, fatores genéticos, uso de bebidas alcoólicas, cigarros e sal em excesso são as principais causas da doença, e para prevenir a doença é preciso buscar uma rotina mais saudável, com alimentação balanceada, prática de atividades físicas e acompanhamento médico preventivo. 

“A Casa trabalha todos os dias do ano orientando para que nossos servidores desenvolvam uma rotina sadia para que não sejam vítimas de uma hipertensão”, afirma Arnoldo, lembrando que a Assembleia Legislativa oferece aos servidores e seus dependentes um Centro Médico com cardiologista, nutricionistas, equipe de psicologia e educadores físicos, além de estrutura com academia e piscina, para a prática de hidroginástica.

Para o especialista em saúde, toda doença na fase inicial é controlada com mais facilidade, porém quando o tratamento é iniciado em uma fase mais avançada, como, por exemplo cérebro ou coração já lesionados por causa da hipertensão, o tratamento já é muito mais delicado do que propriamente a doença original, que seria a hipertensão.

“É preciso que todos entendam o que é esta doença, tenham consciência dos riscos e da importância de prevenção”, conclui Arnoldo Andrade.

— — —

Texto – Diretoria de Comunicação da Aleam

Foto – Alberto César Araújo / Aleam

#perigosdahipertensãoarterial #aleam #amazonas

Postagens relacionadas

TV Encontros das Águas expande sinal e cobertura vai a 100% do território amazonense

Paulo Apurina

Prefeitura de Manaus promove vacinação em comunidades indígenas no Tarumã-Açu

Paulo Apurina

Roberto Cidade quer criar política estadual de incentivo a cursos sociais, populares e comunitários

Paulo Apurina
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights