AMAZONAS

Assembleia Legislativa oferece oficinas de capacitação no primeiro dia do Feclam 2024

A 4ª edição do Fórum Estadual das Casas Legislativas do Amazonas (Feclam), que começou nesta quinta-feira (18/4), teve o primeiro dia dedicado à capacitação dos participantes, com oficinas voltadas a temas que vão desde candidatura e marketing eleitoral a processo legislativo e comunicação na política. 

Foram 12 oficinas divididas em dois momentos: seis oficinas simultâneas no primeiro horário da tarde (das 13h30min às 15h) e outras seis simultâneas no segundo horário (das 15h às 17h).

A oficina “Registro de candidatura, Convenções Eleitorais, Federações e coligações”, com o analista judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Leland Barroso, esclareceu os participantes particularidades do sistema eleitoral, como vedações a pedido de votos antes do início oficial do período da propaganda eleitoral. 

“O candidato e o assessor de pré-candidato devem tomar cuidado com expressões, que caracterizam pedidos de votos, mas podem fazer divulgação de sua pré-candidatura, divulgar projetos e planos políticos em entrevistas, encontros e debates”, exemplificou.

O vereador do município de Codajás (distante a 240 quilômetros de Manaus), Valcifran de Assis (Republicanos), falou da importância da oficina para os participantes. 

“A gente que é parlamentar e quer seguir na carreira política, deve estar sempre atento às mudanças das leis eleitorais, para não incorrer em erro”, afirmou.

À frente da oficina “Planejamento com estratégia em Marketing Eleitoral, a diretora do Centro de Cooperação Técnica do Interior (CCOTI), Eliane Ferreira, destacou o marketing como fundamental para o sucesso de campanhas eleitorais. 

“O planejamento estratégico em marketing eleitoral é super importante porque engloba os três eixos de organização essenciais para que uma campanha possa fluir. Hoje, os participantes tiveram acesso a conteúdos para que, nesta fase de pré-campanha, possam se organizar e fazer uma avaliação de qual tamanho são e qual tamanho querem chegar – politicamente falando – e alavancar sua campanha eleitoral e assim, serem eleitos, que é o que todos esperam”, explicou.

Para Vanusa Veríssimo, vereadora do município de Beruri (173 quilômetros), a oficina é uma oportunidade de dialogar mais facilmente com o seu eleitorado. 

“Marketing eleitoral é uma ferramenta que divulga diretamente o nome do político e me chama atenção porque não sei como funciona exatamente, por isso quis ter mais informações para saber como lidar com o eleitorado, como falar mais facilmente com o público”, afirmou a vereadora.  

O juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Rivaldo Matos, ministrou a oficina “O impacto das Fake News no processo eleitoral”. 

“Com a evolução tecnológica, a inteligência artificial é muito utilizada e a rede social é muito ampla e usada pelos candidatos e partidos. Então, nossa intenção é mostrar a importância de uma campanha e propaganda limpas para um processo eleitoral mais transparente possível, com uma melhor representatividade dos eleitos”, declarou.

Aperfeiçoamento

Atuando com jornalismo político, o estudante Otávio Guedes participou da oficina visando aperfeiçoamento. 

“Resolvi me inscrever na oficina para somar no meu trabalho e na minha formação, porque é um tema que envolve diretamente o meu trabalho e estamos acompanhando este processo até porque é uma forma de perceber o interesse dos pré-candidatos no assunto”, declarou.

Violência política

A promotora de Justiça, Karla Cristina da Silva Reis, titular da Comarca de Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus), falou sobre a violência política na oficina “Construindo uma Sociedade Livre de Violência Política”. 

Segundo ela, o importante de se falar de violência política em um evento do porte do Feclam é que ele oportuniza que pessoas do interior “bebam” de fontes mais atuais e que vêm sendo debatidas com muito mais ênfase, porque na capital há mais palestras, mais pessoas falando sobre o tema. 

“Com isso, temos um ambiente de criação da consciência que vai impactar todo o Estado, evitando que este tema fique restrito apenas à capital. É sobre formar um ambiente político que dê condições às mulheres terem liberdade de exercer o seu mandato”, explicou.

A vereadora Aldinéia Pascoal (MDB), do município do Careiro Castanho (a 88 quilômetros de Manaus), já sofreu violência política em plenário da Câmara do município e aprovou a iniciativa da oficina. 

“Estamos lutando na política em todas as esferas – municipal, estadual e federal – por esse respeito ao mandato das mulheres, para que tenhamos um espaço de voz e vez sem violência. Não admitimos que nosso mandato seja diminuído, por sermos mulheres e, muitas vezes, ainda somos inibidas de falar, somos silenciadas. Por isso, a escolha desse tema para o Feclam foi muito acertada. A Assembleia está de parabéns”, afirmou.

— — —

Foto – Alberto César Araújo / Aleam

#feclam #aleam #amazonas

Postagens relacionadas

Escola de Contas do TCE-AM fará capacitação sobre PPA, LDO e LOA

Paulo Apurina

33 anos de ECA: Roberto Cidade é autor de 15 leis e PLs de proteção à criança e ao adolescente

Paulo Apurina

Dia Nacional de Combate ao Câncer: População deve manter cuidado com a saúde para evitar desenvolvimento do câncer

Paulo Apurina
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights