AMAZONAS TURISMO

Comunidades tradicionais de Iranduba recebem capacitação em turismo sustentável

Promover a vivência, o intercâmbio cultural e ao mesmo tempo, mapear empreendimentos turísticos, manifestações culturais, artísticas e folclóricas em comunidades ribeirinhas do município de Iranduba, foram os objetivos da visita técnica realizada na semana passada, por acadêmicos do curso de Turismo da Universidade Nilton Lins, aos moradores das vilas Tumbira, Santa Helena do Inglês e Saracá, distantes mais de três horas, via fluvial, de Manaus.

Durante a ação, acadêmicos e professores da Universidade, também se reuniram com 15 moradores da região que são alunos bolsistas da instituição no curso de Tecnólogo em Gestão de Turismo, via Ensino a Distância (EAD) e por meio de parceria com a Fundação Amazônia Sustentável.

O coordenador do curso de Turismo da Nilton Lins, João Emanuel, destacou a importância da capacitação dos moradores e explicou que o desenvolvimento econômico, social e sustentável do setor no Estado depende da compreensão das iniciativas já existentes e da identificação de novas oportunidades e necessidades para a criação e expansão de novos projetos.

“Além das habilidades para gerir empreendimentos turísticos e proporcionar uma base econômica sólida que resulte na criação de novos empregos, a formação acadêmica promove a valorização das ricas tradições culturais das comunidades”, acrescentou Emanuel.

Comunitário e Sustentável

O professor também ressaltou a necessidade para fomentar o empreendedorismo local e como os acadêmicos são orientados a explorar novas oportunidades, especialmente no setor de hospedagem, passeios, restaurantes e outros serviços que já são oferecidos de maneira informal.

“O turismo de base comunitária e sustentável tem um potencial gigantesco no Amazonas, principalmente nos municípios do interior, mas é importante resolver questões fundamentais de logística e dos custos para os visitantes, que ainda são entraves para seu crescimento”, afirmou.

A visita técnica também proporcionou aos acadêmicos uma valiosa experiência prática em campo, permitindo-lhes observar de perto o cotidiano e implementação de projetos de turismo acessível e sustentável.

Os acadêmicos/moradores das três comunidades realizam suas aulas de forma on-line, por meio de vídeo aulas no ambiente virtual de aprendizagem da Universidade e a formatura da primeira turma está prevista para o início de 2025.

Via Press Comunicação

#universidadeniltonlins #turismosustentavelamazonas #irandubaamazonas #fas #turismoniltonlins

Postagens relacionadas

Morre Murilo Rayol, o boêmio que construiu o primeiro prédio da Ponta Negra e era parceiro de Neguinho da Beija-Flor

Paulo Apurina

Em caminhada na zona sul, Wilson anuncia mais 41 restaurantes populares no novo mandato

Vilhena

Conselheiro do TCE-AM tem reunião com o Governador do Acre sobre plano ambiental para a Amazônia

Paulo Apurina
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights