CULTURA MANAUS

Concultura visita a comunidade indígena Tatuyo para conhecer projeto contemplado

Prefeitura de Manaus, por meio do Conselho de Municipal de Cultura (Concultura), visitou, no último dia 4/5, a comunidade indígena Tatuyo, durante a abertura do projeto de medicina indígena, na Área de Desenvolvimento Sustentável (ADS) Puranga Conquista, no Rio Negro, área ribeirinha de Manaus.

A comitiva do Concultura conheceu o projeto Mahsisé que foi contemplado pelo edital da Lei Paulo Gustavo (LPG), gerenciado pela Prefeitura de Manaus. O projeto inclui palestra na Casa de Medicina e caminhadas em trilha Yepassoni, na floresta onde estão localizadas as espécies vegetais com propriedades curativas utilizadas pelos povos indígenas.

O presidente do Concultura, Neilo Batista, relembrou que o projeto contemplado, é fruto das buscas ativas realizadas pela prefeitura nas comunidades ribeirinhas e periféricas, para incluir os artistas que ficavam à margem dos editais, como o da Lei Paulo Gustavo.

“Estamos aqui por uma determinação da gestão municipal e para valorizar nossa identidade cultural”, disse, acrescentando que, em breve, serão lançados os editais da Política Nacional Aldir Blanc (PNAB) e Lei Cultura Viva, com incentivo financeiro para os próximos 5 anos.

A recepção na comunidade foi feita pelo cacique Edimildo Yepassoni Tukano, autor e beneficiário do projeto pela LPG, que realizou uma palestra inicial na Maloca de Rituais. Ele relatou a criação da comunidade e a cultura aprendida dos povos Tukano e Dessana, originários do alto Rio Negro.

“Tivemos de buscar estudo e treinamentos em Manaus, e nas viagens em outros Estados, para poder transmitir também nossos conhecimentos ancestrais de profundo saber sobre a medicina da floresta e seus recursos de sobrevivência. Aqui nos estabelecemos já há 16 anos, nesta reserva florestal, e buscamos a legalização delas terras para uso sustentável, como a criação de trilhas de caminhada com o georreferenciamento e identificação de espécies medicinais e árvores centenárias que compõem a nossa rica biodiversidade amazônica”, explicou o cacique Yepassoni.

Sobre a execução do projeto contemplado pela LPG, o cacique explicou que serão recebidas duas turmas das comunidades e estudantes que vão passar pela experiência de caminhadas na floresta e palestras sobre a medicina tradicional indígena.

A oceanógrafa carioca Paula Pereira foi passar três dias em imersão na comunidade, fez a trilha e participou da palestra. “É muito importante esses editais chegarem nas comunidades tradicionais e indígenas para mostrar e perpetuar suas culturas  ancestrais e trocar experiências”, afirmou.

Tatuyo

A comunidade Tatuyo fica a uma hora de distância de barco, tipo coletivo, saindo da Marina do David, subindo o rio Negro, na margem direita. As duas famílias fundadores da comunidade desenvolvem atividades de passeio nas trilhas, rituais e cultivam a agricultura familiar para sustento próprio. A receita com o turismo é a principal atividade econômica dos moradores.

— — —

Texto – Cristóvão Nonato / Concultura

Fotos – Divulgação / Concultura

#concultura #pmm #manaus #amazonas

Postagens relacionadas

Prefeitura de Manaus faz interdição temporária de alça do viaduto do Manoa

Jamil Maciel

Unidades de saúde da prefeitura terão horário de funcionamento especial por conta do Natal

Vilhena

CCZ divulga calendário de agendamento para castração de cães e gatos entre outubro e dezembro

Paulo Apurina
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights