MEIO AMBIENTE

Em Novo Aripuanã, Idam, Sema e ASL identificam 400 hectares com potencial para extração de madeira

Localizada na RDS do Juma, a área tem potencial para a extração de até 300 m³ de madeira por ano

Uma área de 400 hectares (ha) com potencial para a extração, de forma sustentável, de cerca de 300 metros cúbicos (m³) de madeira. Esse foi o resultado obtido durante as ações de mapeamento e inventário florestal na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma, em Novo Aripuanã (distante 227 quilômetros de Manaus), realizadas pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), em parceria com a Secretaria do Estado do Meio Ambiente (Sema), por meio do Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia (ASL).

Durante o levantamento, realizado entre os dias 18 e 25 de janeiro deste ano, segundo o engenheiro florestal do Idam, Filipe Freitas, foram identificadas espécies de árvores que podem atender o setor madeireiro e de movelarias com madeira certificada, sem agressões ao meio ambiente. “A área é dotada de espécies como cumaru, ipê e pau-fava, que têm grande potencial comercial. Essas espécies estão situadas em uma área de manejo de 400 ha, da qual podem ser extraídos, por ano, 300 m³ de madeira manejada por ano”, avaliou.

Ainda sobre a área, o engenheiro florestal assegurou que a atividade de extração de madeira no local pode ser complementada, também, com outras atividades, como o cultivo de mandioca e extração de castanha e óleo de copaíba. “Essa, sem dúvida, é uma iniciativa que vai trazer benefícios sociais e econômicos à região”, garantiu.

A Sema, responsável pelo gerenciamento da RDS do Juma, também reforça a importância das ações realizadas em conjunto com o Idam em relação à área. “Juntos, estamos focados em viabilizar a prática legal do manejo, com o intuito de garantir renda aos comunitários da região”, reforçou a gestora da área protegida, Khimberlly Sena.

Próximos passos

Após a identificação, Freitas esclarece quais serão os próximos passos dados pelo Idam e Sema em relação à viabilidade da extração de madeira no local. “Será protocolado o licenciamento ambiental junto ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e, na sequência, será dado início ao processo de capacitação de produtores para que eles possam explorar e comercializar a madeira de forma correta e conforme a legislação ambiental vigente”, pontuou.

Paisagens Sustentáveis

O inventário da RDS do Juma está sendo realizado por meio do Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática (MMA).
Segundo a coordenadora do projeto no Amazonas, Leticia Cobello, “a iniciativa tem a proposta de promover a redução de ameaças à biodiversidade, a recuperação de áreas degradadas, o aumento dos estoques de carbono, além do desenvolvimento de boas práticas de manejo florestal e o fortalecimento de políticas e planos voltados à conservação e recuperação ambiental na Amazônia Brasileira”.

Fonte: Idam

Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Tratado de Cooperação Amazônica completa 45 anos

Paulo Apurina

Prefeitura de Manaus promove ação de educação para o trânsito no Dia do Motorista

Jamil Maciel

Projeto de Lei sancionado pelo Presidente proíbe sacrifício de cães e gatos por órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e estabelecimentos oficiais congêneres

Paulo Apurina
Verified by MonsterInsights