BRASIL ECONOMIA

Seminário sobre mineração sustentável na Amazônia é encerrado após três dias de palestras e discussões

Após três dias de intensas atividades envolvendo palestras e discussões sobre temas ligados ao planejamento de médio e longo prazo do setor de mineração e óleo e gás na região, chegou ao fim, nesta quinta-feira (25), o I Seminário para o Desenvolvimento Sustentável da Mineração na Amazônia. 

Promovido pela Suframa e pela Organização Mineronegócio, com participação de órgãos governamentais, empresas mineradoras e especialistas do setor, o seminário foi uma iniciativa inédita que teve o objetivo de abordar planos governamentais, experiências técnicas e empresariais, potencialidades, projetos em andamento e desafios visando ao crescimento do setor de mineração e óleo e gás em conciliação com práticas sustentáveis na região. O evento foi transmitido integralmente por meio do canal da Suframa no YouTube (youtube.com/suframanews) e ficará disponível para acesso e visualização dos interessados a qualquer tempo.

A solenidade de encerramento do seminário contou com a participação do superintendente da Suframa, Algacir Polsin, do presidente do Conselho de Organização Minerológica, Roberto Busato Belger, do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas (Sedecti), Jório de Albuquerque Veiga Filho, do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará (Sedeme-PA), José Fernando de Mendonça Gomes Júnior, e do professor do Curso de Engenharia de Minas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Jorge Dariano Gavronski.

Em seu pronunciamento, o superintendente Algacir Polsin agradeceu, inicialmente, todos os profissionais que contribuíram para o planejamento, a coordenação e a execução do evento, afirmando que todos os conteúdos discutidos e as experiências compartilhadas serão fundamentais para a consolidação de dados que possam gerar retorno positivo para o País.  Ele também explicou que o envolvimento da Suframa com o tema da mineração deve-se ao fato de a Autarquia estar buscando cada vez mais fomentar novos vetores econômicos e espraiar as riquezas e o desenvolvimento do modelo Zona Franca de Manaus para toda sua área de abrangência. 

“A mineração é um vetor econômico de grande importância que tem condições de integrar e gerar benefícios não apenas na área de abrangencia da Suframa, mas em todos os estados da Amazônia Legal. Temos que entender que esta região é estratégica para o nosso País e que existem riquezas aqui que precisam ser exploradas, com o devido respeito a todos os princípios legais. Este evento mostrou que há uma ligação positiva entre mineração e meio ambiente, eles não são antagônicos. Temos condição de fazer uma mineração de forma correta, usando tecnologia, e ao mesmo tempo conservando o meio ambiente e respeitando as populações indígenas”, afirmou Polsin. “Muito se fala da conservação da floresta em pé, mas pouco se fala que temos 25 milhões de brasileiros vivendo na região. Então temos que conciliar a proteção da floresta com a qualidade de vida da população que vive aqui, buscando promover o desenvolvimento sustentável de acordo com os vários vetores econômicos e eixos temáticos com os quais temos trabalhado”, complementou.

Na ocasião, o superintendente também agradeceu o titular da Sedeme-PA, José Fernando de Mendonça Gomes Júnior, pela disponibilização do Estado do Pará para sediar a segunda edição do seminário, prevista para o próximo ano. “Ter a continuidade deste evento é bastante importante e o Estado do Pará, em se falando de mineração na Amazônia, é bastante diferenciado. Tenho certeza que fazer o seminário nesse Estado nos trará inúmeras oportunidades, inclusive, com a possibilidade de visitações in loco. Nos vemos no próximo ano e, daqui até lá, temos bastante trabalho a fazer. O importante é sair da teoria e fazer as entregas que a população tanto merece e precisa”, reforçou Polsin.

Plano

Embora a programação de palestras do seminário tenha sido encerrada na manhã desta quinta-feira (25), o evento ainda contou com uma atividade interna, na parte da tarde, visando à preparação do documento “Plano de Ações para o Desenvolvimento Sustentável da Mineração da Amazônia”.

Postagens relacionadas

Câmara conclui votação de PEC que aumenta repasses para municípios

Paulo Apurina

Mais da metade das prefeituras concorda com “passaporte” da vacina

Paulo Apurina

Jucea e Conselho Regional de Contabilidade assinam acordo de cooperação técnica

Paulo Apurina