BRASIL POLÍTICA

Brasileiros que estavam na Cisjordânia são repatriados

Avião do governo que os traz de volta está previsto para chegar, hoje, à Base Aérea de Brasília. Grupo saiu por Jericó em direção a Amã, na Jordânia. Anda restam outros, que estão na Faixa de Gaza, esperando para saírem pelo Egito

Trinta e três brasileiros que estavam na Cisjordânia e haviam manifestado interesse na repatriação foram resgatados ontem. Brasileiros de 12 famílias — 12 homens, 10 mulheres e 11 crianças — foram conduzidos em ônibus e vans alugados pela Representação Brasileira em Ramallah até a cidade de Jericó. O grupo chega hoje, por volta das 8h30, na Base Aérea de Brasília.

Em Jericó, os brasileiros realizaram os processos de migração e foram direcionados para cruzar a fronteira com a Jordânia, onde embarcaram em outro ônibus e foram levados até a capital Amã. De lá, embarcaram em uma aeronave do governo federal que os esperava.

“Os veículos foram identificados com a bandeira do Brasil. Para fins de segurança, as placas, trajetos e listas de passageiros foram informados às autoridades da Palestina e de Israel”, explicou o embaixador da Representação Brasileira em Ramallah, Alessandro Candeas, segundo nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE). De acordo com o Itamaraty, os repatriados terão como destino final as cidades de Foz de Iguaçu, São Paulo, Florianópolis, Recife, Rio de Janeiro, Fortaleza, Curitiba, Goiânia, Brasília e Porto Alegre.

Desde o início das hostilidades na Faixa de Gaza, há 26 dias, a violência na Cisjordânia cresceu com uma série de assassinatos e confrontos entre palestinos, forças de segurança israelenses e da Autoridade Palestina e ataques de colonos — israelenses que vivem em assentamentos dentro da Cisjordânia — contra a população palestina.

A repatriação é mais um capítulo da Operação Voltando em Paz, lançada pelo governo federal após o início da guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas. Oito aeronaves já vieram de Israel e uma da Jordânia, totalizando 1.443 brasileiros e três bolivianas, além de 53 animais de estimação.

Este grupo não é o mesmo de aproximadamente 30 brasileiros que está na Faixa de Gaza à espera de ser autorizado a cruzar a fronteira com o Egito. As autoridades brasileiras intensificaram as negociações para que possam ser liberados sobretudo depois que Israel intensificou os ataques à região na tentativa de desarticular o Hamas.

A esperança da diplomacia brasileira reside sobretudo no fato de que, ontem, dezenas de estrangeiros e cidadãos palestinos com dupla cidadania começaram a deixar a Faixa de Gaza e atravessam para o Egito pela passagem de Rafah. Essa foi a primeira vez que a fronteira foi aberta para saída de pessoas desde o início do conflito. “Novas listas serão publicadas em breve e nossos brasileiros devem estar nelas”, afirmou o embaixador Candeas.

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Vereador Elan Alencar recebe denúncias de SPAs superlotados

Vilhena

’Um sonho que está chegando’, diz governador Wilson Lima ao vistoriar obras do Hospital Regional de Manacapuru

Vilhena

Micro e pequenas empresas já podem aderir ao Pronampe

Paulo Apurina
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights