JUSTIÇA

Cartórios de Notas do Amazonas registram recorde de atos que podem comprovar bullying e cyberbullying

Solicitação de Atas Notariais, documento que faz prova de ataques virtuais, cresceu em média 27% ao ano e atinge recorde histórico de mais de mil documentos produzidos em 2023. Nova lei federal deve aumentar procura pelo ato.

Documento comprobatório da prática de crimes cometidos na internet e utilizado como prova em processos judiciais e administrativos, a Ata Notarial terá papel fundamental na eficácia da recém-sancionada Lei Federal 14.811/24, que incluiu o bullying e o cyberbullying no Código Penal e elevou a pena de crimes cometidos contra crianças e adolescentes.

Levantamento inédito feito pela Associação dos Notários e Registradores do Estado do Amazonas (Anoreg/AM) aponta que o ano de 2023 registrou o recorde histórico de solicitação deste ato em Cartórios de Notas, totalizando 1082 documentos feitos em todo o estado. A marca representa um crescimento médio anual de 27% no número de atas produzidas e reforça uma preocupação crescente dos amazonenses em buscar documentar fatos do mundo virtual e utilizá-los como prova em tribunais.

O levantamento mostra um crescimento contínuo da busca por este ato em Cartório de Notas. Em 2007, data inicial da série histórica foram solicitadas apenas 34 Atas Notariais em todo o estado. Já em 2020 foram 392 documentos emitidos, chegando a 812 em 2021 e 1082 no ano passado.

“No cenário atual, onde as pessoas estão cada vez mais conectadas ao mundo virtual, o cyberbullying se tornou uma preocupação real para muitas famílias, por conta das crianças e adolescentes inseridos nesse contexto. Então a Ata Notarial se torna uma ferramenta segura para garantir respaldo jurídico e proteção aos cidadãos, sendo prova de fatos a serem levados a juízo, uma vez que seu conteúdo é redigido e verificado por um agente imparcial, detentor de fé pública”, disse o presidente da Anoreg/AM, David Gomes David.

Regulamentada pelo artigo 384 do Código de Processo Civil (CPC), a Ata Notarial é um documento público que narra um ou mais fatos ou circunstâncias presenciadas pelo tabelião, com a finalidade de emprestar fé pública a determinado acontecimento, a fim de pré-constituir uma prova para ser utilizada em processos judiciais. Pode ser usada para comprovar a existência de um conteúdo publicado em site ou rede social, mensagem no celular, aplicativos de mensagens ou qualquer outra situação. Desde 2020 o documento também pode ser realizado de forma 100% digital por meio da plataforma e-Notariado (www.e-notariado.org.br).

Procedimento

Para solicitar o serviço, o interessado deve buscar um Cartório de Notas, de forma física ou pela plataforma e-Notariado (www.e-notariado.org.br), e solicitar que seja feita a verificação de uma determinada situação. No caso de ataques feitos em redes sociais e por aplicativos de mensagens – que podem gerar processos por injúria, calúnia ou difamação – e também quando da publicação de “fake news” é possível solicitar que o tabelião registre o que vê em uma página específica da internet, aplicativo, telefone, redes sociais ou arquivo digital de mensagens.

O documento emitido pelo notário conterá informações básicas de criação do arquivo – data, hora e local -, o nome e a qualificação do solicitante, a narrativa dos fatos – podendo incluir declarações de testemunhas, fotos, vídeos e transcrições de áudios -, além da assinatura do tabelião junto ao visto do cartório.

Fonte: Anoreg-Am

Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Ministro do STF revoga bloqueio após Telegram cumprir determinações

Paulo Apurina

Presidente da Aleam, Roberto Cidade conduz Sessão Especial em homenagem pelo Dia do Advogado

Jamil Maciel

TCE-AM retoma programa Menor Aprendiz e integra 25 adolescentes à Corte de Contas

Paulo Apurina
Verified by MonsterInsights