INFRAESTRUTURA MANAUS

Com entregas e obras em curso, prefeitura reabilita Centro Histórico de Manaus

A reabilitação do Centro Histórico de Manaus é uma realidade bastante concreta e com obras entregues na gestão do prefeito David Almeida. Antes, onde havia abandono e degradação, hoje, há um cenário às margens do rio Negro frequentado por todos os moradores e visitantes que se encantam não apenas pela beleza natural quanto pelas obras arquitetônicas.

Desde o início da gestão, David Almeida priorizou o centro histórico não apenas com uma obra, mas com uma matriz de responsabilidade e um conjunto de mais de 30 intervenções em diversas áreas, desde segurança, turismo, economia, novos negócios, cultura, entre outros. E, duas das construções já foram entregues em maio deste ano, o mirante Lúcia Almeida e o largo de São Vicente. Também está pronto para inaugurar o casarão Thiago de Mello e, no dia 9 de junho, será entregue o píer turístico Manaus 355, uma estrutura de porte gigante. O píer é uma estrutura de atracação de embarcações de pequeno e médio portes, voltado para o trade turístico e de pacotes fluviais no Centro e entorno.

“É o novo cartão-postal da cidade, o novo point da capital. Com isso, a gente resgata a autoestima dos moradores do Centro e da cidade, no local onde ela iniciou. Esse é um resgate que nós estamos dando para a cidade de Manaus. Estamos devolvendo um belo cartão-postal para Manaus com esse investimento”, enfatizou o prefeito, que destacou o potencial econômico e turístico do mirante Lúcia Almeida.

Na inauguração do mirante, em 4 de maio, o chefe do Executivo municipal destacou a importância da estrutura. “Nós vamos dar uma opção a mais para o turista e para o manauara, para que possa contemplar a nossa natureza. Aqui temos restaurantes, peixaria, sorveteria, bares, quiosques, vamos ter artesanato, culinária, tudo isso à disposição da população”, disse. O complexo, hoje, recebe uma média de 3 mil a 4 mil visitantes nos finais de semana.

Central

A região central de Manaus é importante parte da história contada por seus edifícios, muitos erguidos na Belle Époque, em meio a residências e ruas de intenso comércio. Além da beleza arquitetônica, tem a beleza de viver, trabalhar e ocupar os casarões e prédios, mantendo a história ou escrevendo novos capítulos.

A aposta é de reabilitar o centro histórico para devolver vida e ebulição ao local, que tem ampla infraestrutura e oferta de transporte e serviços. Hoje, o território central de Manaus abriga um comércio que movimenta aproximadamente 100 mil postos de trabalho, principalmente no horário comercial.

Programa

O programa “Nosso Centro” promove reformas e recuperação de imóveis abandonados ou sem uso, criando novas áreas de qualidade. Para os projetos foram desapropriados seis imóveis, antes abandonados ou sem uso.

O “Nosso Centro” tem uma série de intervenções desenhadas tendo três eixos focais: “Mais Vida”, “Mais Negócios” e “Mais História”. Nos eixos, estão uma série de ações para melhoria da governança, incentivos fiscais, inovação, habitação de interesse social e investimentos públicos, envolvendo ainda a promoção de eventos culturais, reformas e a ampliação da segurança.

A grande área de intervenção localiza-se em área de tombamento federal, na vizinhança de outros edifícios históricos, como o Centro Cultural Óscar Ramos, Museu da Cidade de Manaus, praça Dom Pedro II, Casarão da Inovação Cassina, Palácio Rio Branco, dentre outros.

Além de ajudar a sequenciar a história, o patrimônio histórico está repleto de informações sobre tradições e saberes da cultura de um povo.

“Quando o prefeito David Almeida montou seu plano de governo, ele deu destaque ao Centro e teve início o ‘Nosso Centro’, com seus eixos. Estamos com parte dele em desenvolvimento, com as obras, oferecendo novas instalações, atração para o turismo, operações de gastronomia, lazer e cultura naquele ponto. Outro eixo é o de desenvolver programas habitacionais e contamos com a Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária (Semhaf); e um terceiro tem foco na melhoria do potencial construtivo para a área”, explicou o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

Os três eixos envolvem criação de incentivos fiscais, tratamentos diferenciados e toda uma vida à região com operações de gastronomia, turismo, cultura, contemplação e de habitação de interesse social. “E tudo isto já está dentro do ‘Nosso Centro’. O prefeito David Almeida não mediu esforços com as obras e está com uma série de propostas apresentadas ao governo federal, para que possamos avançar ainda mais na reabilitação do centro de Manaus”, disse Valente.

Foram selecionados para o novo PAC Seleções, do governo federal, os projetos inscritos pela prefeitura para a reforma do Museu do Porto e da Casa Vermelha, no centro histórico da capital.

Um grande diferencial do programa de Manaus é ter a conexão com a paisagem natural, que é o rio, e a outra com o patrimônio histórico. Em suas diretrizes está proporcionar a reocupação da área central, um bairro dotado de uma das melhores infraestruturas urbanas da capital. Em todas as intervenções realizadas em centros históricos, no Brasil e em outros países, se verifica que, inicialmente, há um investimento do poder público, fazendo o resgate das áreas, e posteriormente a iniciativa privada dá continuidade.

A estimativa é ter outras intervenções agregadas, como a reforma da praça IX de Novembro, o Museu do Porto e projetos habitacionais.

— — —

Texto – Claudia do Valle/Implurb

Fotos – João Viana/Semcom, Dhyeizo Lemos/Semcom

#cenrodemanaus #pmm #manausamazonas

Postagens relacionadas

Centro Municipal de Testagem para Covid-19 já realizou mais de 11 mil exames em Manaus

Paulo Apurina

Com variante Ômicron confirmada em Manaus, prefeitura realiza testagem em servidores do CCC

Jamil Maciel

Prefeitura de Manaus e Vila Sésamo encerram projeto de educação financeira em escolas da Semed

Jamil Maciel
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights