MANAUS

Demolições administrativas na capital por obstruções urbanas têm alta de 200% no bimestre de 2024

No primeiro bimestre de 2024, a Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), apresentou alta de 200% nas demolições administrativas para fazer correções no tecido urbano, especialmente atuando em desobstrução de logradouros públicos da cidade, liberando áreas públicas.

De janeiro a fevereiro, foram realizadas pela Divisão de Controle, na Gerência de Fiscalização de Postura (GFP), seis ações de demolição no período, contra apenas duas notificadas em 2023. Das mais de 60 obstruções e irregularidades de logradouros e calçadas, houve aumento de 46% na aplicação de autuações, somando 22 multas, contra 15 do ano anterior. As notificações da GFP também tiveram incremento de 60% no bimestre, somando 272 ocorrências. Em 2023, foram 170 registros.

As ações fiscais são da Divisão de Controle, divididas em Gerência de Postura (GFP) e Gerência de Fiscalização de Obra (GFO). As fiscalizações envolvem desde obstrução de logradouro, construção em calçadas públicas, obras irregulares e sem licença, terrenos abandonados e baldios, depredação de logradouro, ausência de Habite-se, entre outras.

Denúncias sobre obras irregulares e afins são atendidas pelo número do Disque Denúncia, o (92) 3673-9305 e pelo 161, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, exceto feriados e pontos facultativos e, por e-mail, para o disquedenuncia.implurb@manaus.am.gov.br.

“A população é um grande canal de apoio ao nosso trabalho, servindo de fiscal de irregularidades, estando nas ruas, sendo parte fundamental no processo de combate às ilegalidades e obras sem licença que prejudicam a todos. E alertamos para o cuidado com as áreas públicas, que não podem ser ocupadas. Nem se pode construir ou obstruir calçadas e até mesmo as ruas, impedindo o livre ir e vir das pessoas, prejudicando a todos”, destacou o vice-presidente do Implurb, arquiteto e urbanista Claudemir Andrade.

As fiscalizações são realizadas pelas gerências da Dicon, por meio de denúncias formalizadas, demandas de órgãos municipais e estaduais, e rota diária da equipe de fiscais nas ruas, além de plantões noturnos e nos finais de semana para integrar operações.

Fonte: Implurb

Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Prefeito David Almeida entrega Unidade de Saúde da Família no Colônia Terra Nova

Vilhena

Posto na Galeria Espírito Santo recebe famílias para atualizar cadastro habitacional

Paulo Apurina

Os conselheiros do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) reprovaram as contas de 2020 da Policlínica Governador Gilberto Mestrinho e determinaram a devolução do valor total de R$ 104 mil aos cofres públicos por parte das gestoras responsáveis Maximina Penha Malagueta e Alessandra dos Santos.

Vilhena
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights