BRASIL

Lula faz reunião com ministros para discutir chuvas em SC e seca no AM

Estados vêm passando por severos fenômenos climáticos nos últimos dias

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva coordenou nesta quinta-feira (12), por videoconferência, uma reunião com ministros para discutir a situação das chuvas intensas que atingem Santa Catarina, na Região Sul, e da forte seca e incêndios florestais que castigam o Amazonas, na Região Norte.  

“Assim como fizemos com o Rio Grande do Sul, temos dedicado atenção especial a esses estados, com a presença de técnicos, secretários, ministros, repasses de recursos e muito diálogo. Determinei aos ministros que todas as equipes estejam mobilizadas e à disposição dos governos estaduais e das prefeituras. O Governo Federal está atento, presente e atuando para atender a população e remediar os danos causados pelos extremos climáticos”, publicou Lula em uma postagem na rede social X (antigo Twitter).

Nas duas últimas semanas, Lula vem despachando do Palácio da Alvorada,residência oficial, onde se recupera de uma cirurgia para reconstrução da articulação do quadril. Diariamente, nos últimos dias, o presidente tem mantido uma agenda remota de trabalho, que inclui reuniões virtuais com auxiliares e telefonemas com autoridades.

Santa Catarina

Em Santa Catarina, as chuvas dos últimos dias deixaram um rastro de alagamentos, deslizamentos e outras ocorrências. Até esta quarta-feira (11), pelo menos 135 municípios já haviam decretado situação de emergência no estado.

Uma força-tarefa do governo federal desembarcou em Navegantes, no litoral catarinense, para acelerar o apoio a municípios atingidos.  A comitiva, liderada pelo ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, sobrevoou as cidades mais afetadas pelos temporais, no Vale do Itajaí, entre elas, Rio do Sul e Taió. Depois, por terra, percorreu algumas localidades de Blumenau, onde seus integrantes se reuniram com o governador catarinense, Jorginho Mello, prefeitos, parlamentares e a comunidade.

Amazonas

Já na Região Norte, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, anunciou nesta quinta-feira o envio de mais efetivo da Força Nacional para reforçar as equipes que já estão atuando no combate aos incêndios florestais. 

A seca e o ar poluído pela fumaça fez a Fiocruz Amazônia recomendar o uso de máscaras. Em alguns bairros de Manaus, a qualidade do ar é considerada “péssima”. E a quantidade de poluentes nesta quinta-feira (12) está cinco vezes maior do que já é considerado “muito ruim” pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Os dados são do monitoramento feito pela Universidade do Estado do Amazonas. De acordo com a prefeitura de Manaus, a fumaça tem origem nos municípios da Região Metropolitana.

No interior do Amazonas, a situação da seca continua preocupante, especialmente no sul do estado. Sessenta cidades estão em alerta ou emergência por causa da estiagem. Apenas duas, em situação de normalidade. Quase 400 mil famílias foram afetadas.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as quatro cidades brasileiras com maior quantidade de focos de incêndio no último mês ficam todas na região amazonense entre Manaus e Rondônia.

Via Agência Brasil

Postagens relacionadas

Pacheco pede a Fux que o diálogo entre Poderes seja restabelecido

Paulo Apurina

Conselho de Ética arquiva ação contra Glauber Braga e Ricardo Salles

Jamil Maciel

Governo vai ampliar efetivo da Força Nacional na terra yanomami

Vilhena
Verified by MonsterInsights