INFRAESTRUTURA

Obra sem licença no Centro de Manaus é embargada pela prefeitura e Iphan demole fachada

Descumprindo embargo municipal da Prefeitura de Manaus e federal do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o proprietário de um imóvel, localizado na poligonal do centro histórico, demoliu completamente a fachada e o interior do lote em clara desconformidade à legislação vigente e às sanções em vigor. A obra é irregular e sem licença e foi novamente multada e sofreu interdição, na avenida Joaquim Nabuco, nº 205, sendo uma unidade de preservação de interesse de 2° grau, conforme o decreto municipal 7.176/04.

Durante o monitoramento de rotina da equipe do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) nesta quinta-feira, 22/3, foi identificado o grande dano ao patrimônio da cidade e uma ação fiscal foi realizada no local, com aplicação de multa e interdição. A Gerência de Patrimônio Histórico (GPH) acionou a fiscalização, que foi ao espaço e constatou a irregularidade.

Ao longo da fiscalização, foi constatado ainda que o imóvel ao lado, nº 213, também sofreu demolições no seu volume construído internamente, ficando apenas a fachada. Neste caso, o Implurb fez a interdição e aplicou multa. Esta segunda edificação também está listada como sendo uma unidade de preservação de interesse de 2° grau.

Para a arquiteta e urbanista Landa Bernardo, gerente de Patrimônio Histórico do instituto, o licenciamento para obras é imprescindível, devendo seguir orientações do Plano Diretor e as normativas patrimoniais, no caso do centro histórico, as estabelecidas para o polígono de preservação.

“As medidas fiscais e de monitoramento foram realizadas dando sequência ao embargo anterior, com o intuito de verificar se a obra estava paralisada. Todas as ações administrativas do poder público foram feitas, mas o proprietário não atendeu e continuou com a ação de demolição total do bem, ficando sujeito a novas sanções. Estamos atuando dentro da lei e também acionamos o Iphan para fazer a ação neste caso, já que ambos os imóveis estão dentro da poligonal federal”, afirmou Landa.

Histórico

Desde as primeiras ações realizadas no ano passado, o proprietário não havia atendido as notificações de interdição, para que a construção não avançasse sem a devida regularização. O embargo do Iphan tem como base o art. 18 do decreto-lei 25/1937, além da portaria 187/2010, que regulamenta a fiscalização de bens tombados e respectivas áreas de entorno.

O proprietário deveria ter permanecido com a obra paralisada até sua devida regularização junto aos órgãos de licenciamento. Mas, ao contrário da legislação e das sanções, o dono do imóvel agravou a situação e realizou a demolição completa da fachada e do lote.

Denúncias

Denúncias sobre obras irregulares, obstruções de logradouro, invasão de área pública e afins são atendidas pelo número do Disque Ordem, o (92) 3673-9305 ou o 161, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, exceto feriados e pontos facultativos e, por e-mail, para o disquedenuncia.implurb@manaus.am.gov.br

As fiscalizações são realizadas pelas gerências da Divisão de Controle (Dicon), de Obras (GFO) e de Postura (GFP), por meio de denúncias, demandas de órgãos municipais e estaduais, e rota diária da equipe de fiscais nas ruas.

Fonte: Implurb

Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Prefeitura conhece agenda da construção civil nacional e local durante encontro com Cbic

Jamil Maciel

Prefeitura de Manaus realiza fiscalização de carga pesada na avenida Efigênio Sales

Jamil Maciel

David Almeida assina ordem de serviço para construção de viaduto que vai interligar avenidas Ephigênio Salles e Governador José Lindoso

Jamil Maciel
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Verified by MonsterInsights